sexta-feira, 30 de maio de 2014

HOMILIA PAPA FRANCISCO: Vida cristã não é festa, mas alegria na esperança.

“A vossa tristeza se transformará em alegria”. A promessa de Jesus aos seus discípulos esteve no centro da Missa que o Papa Francisco celebrou nesta sexta-feira, 30, na Casa Santa Marta. Na homilia, o Pontífice entoou um hino à alegria cristã, algo que, segundo ele, não se pode comparar, mas somente receber como dom do Senhor. A alegria dos cristãos, disse o Papa, é a “alegria na esperança”.
São Paulo era muito corajosoporque tinha força no Senhor. O Santo Padre desenvolveu sua homilia a partir dessa constatação, focando na alegria do cristão. Francisco reconheceu que em alguns momentos da vida existe o medo, mesmo Jesus no Getsêmani teve medo e angústia, mas deixou uma mensagem clara de que o mundo se alegrará.
“Devemos dizer a verdade: não toda a vida cristã é uma festa. Não toda! Tantas vezes se chora, quando você está doente; quando você tem um problema na família com o filho, com a esposa, o marido; quando você vê que o salário não chega ao fim do mês e há um filho doente…Tantos problemas, mas Jesus nos diz: ‘Não tenham medo!’. ‘Sim, vocês vão ficar tristes, chorar e também o povo se alegrará, o povo que está contra você”.
O Papa falou ainda de uma outra tristeza, que é aquela vinda quando se segue por um caminho que não é bom, quando se compra aquela alegria do mundo e no final fica um vazio dentro de si. Esta é a tristeza da alegria má, ao passo que a alegria cristã é uma alegria na esperança, uma alegria que é purificada pelas provações de todos os dias.
“É difícil quando você visita um doente que sofre tanto e dizer: ‘Coragem! Amanhã você terá a alegria!’ Não, não se pode dizer! Devemos fazê-lo sentir como o fez sentir Jesus. Mesmo nós, quando estamos na escuridão e não vemos nada: ‘Eu sei, Senhor, que esta tristeza se transformará em alegria. Não sei como, mas sei! Um ato de fé no Senhor”.
Para entender a tristeza que se transforma em alegria, o Papa lembrou que Jesus toma o exemplo da mulher que dá à luz: no parto ela sofre muito, mas depois quando tem a criança consigo, esquece. O que permanece é a alegria de Jesus, uma alegria purificada. Essa é a mensagem da Igreja de hoje: não ter medo.
“Ser corajoso no sofrimento e pensar que depois vem o Senhor, depois vem a alegria, depois da escuridão chega o sol. Que o Senhor dê a todos nós esta esperança. E o sinal de que nós temos esta alegria na esperança é a paz. (…) Você tem paz? Se tem paz, você tem a semente daquela alegria que chegará depois. Que o Senhor nos faça entender estas coisas”.
Essa foi a primeira Missa na Casa Santa Marta que Francisco celebrou após seu retorno da viagem à Terra Santa. Desde semana passada, as celebrações foram suspensas por causa da viagem.
Fonte: http://papa.cancaonova.com/

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Incêndio causa danos à Gruta da Natividade em Belém

Um incêndio atingiu, na madrugada desta terça-feira, 27, a Gruta da Natividade, em Belém, na Terra Santa. O fogo se espalhou após a queda de uma lamparina de óleo no chão da gruta, que fica localizada dentro da Basílica da Natividade.
O governador da cidade palestina,  Abdel-Fatah Hamayel, afirmou tratar-se de um acidente, e que não houve qualquer intenção de danificar o local.
O fogo foi percebido por volta das 4h30, quando um guardião sentiu cheiro de queimado. As chamas causaram danos a alguns tecidos bordados e às paredes da Gruta. Em 2012, o local tornou-se Patrimônio da Unesco e, no momento,  estava em processo de  restauração.
Segundo a tradição cristã, neste local nasceu Jesus Cristo. A gruta é visitada diariamente por milhares de peregrinos de todas as partes do mundo. O lugar foi visitado pelo Papa Francisco neste domingo, 25.
Fonte: http://noticias.cancaonova.com/

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Termina hoje prazo de pagamento da taxa de inscrição no Enem

Termina nesta quarta-feira, 28, o prazo para pagamento da taxa de inscrição no Exame Nacional do Ensino Mèdio (Enem. O pagamento, que é no valor de R$ 35, confirma a inscrição no exame. São isentos os estudantes de instituições da rede pública e os candidatos que se declarem financeiramente carentes.
A taxa pode ser paga nas agências do Banco do Brasil, nas unidades do Banco Postal dos Correios e na rede Mais Banco do Brasil, formada pelos correspondentes bancários dessa instituição em estabelecimentos comerciais.
As provas do Enem serão aplicadas nos dias 8 e 9 de novembro em 1.699 municípios. Esta edição do exame registrou o recorde de 9,519 milhões de inscritos, o que representa um crescimento de 21,8% em relação a 2013 (7,834 milhões). O dado é preliminar, pois depende da confirmação do pagamento da taxa de inscrição.
No último sábado, 24, o ministro da Educação, Henrique Paim, fez um alerta para evitar que se repitam problemas ocorridos no ano passado, quando inscritos agendaram o pagamento pela internet e em caixas eletrônicos no último dia do prazo, para efetivação do pagamento depois. “Houve confusão com a data de pagamento e de agendamento. Não basta agendar no dia 28. Tem que fazer o pagamento nesse dia”, disse.
Fonte: http://noticias.cancaonova.com/

Mata Atlântica perdeu 235 km² de vegetação em um ano

A Mata Atlântica perdeu 235 quilômetros quadrados (km²) de vegetação de 2012 para 2013, o que representa um aumento de 9% no ritmo da devastação em relação ao último período avaliado (2011-2012), de acordo com um estudo divulgado nesta terça-feira, 27. A área equivale a 24 mil campos de futebol.
O Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica foi elaborado pela organização não governamental (ONG) SOS Mata Atlântica, em parceria com Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe. Esta é a nona edição do estudo.
“A Mata Atlântica é um patrimônio nacional, um bioma extremamente ameaçado, porque uma parte da população brasileira vive nessa área e depende de seus recursos, então o esforço e a participação da sociedade são importantes para que preservemos essas florestas e tenhamos a garantia de serviços ambientais que beneficiam boa parte da população brasileira”, disse a diretora executiva da Fundação SOS Mata Atlântica e coordenadora do atlas, Marcia Hirota.
Índices
A Mata Atlântica é um dos biomas mais ricos em biodiversidade, com até 60% de suas espécies existindo apenas nessa área.  Segundo a SOS Mata Atlântica, a taxa anual de desmatamento registrada neste período é a maior desde 2008, quando foi apontada a perda de 343,1 km² de floresta.
Entre 2008 e 2010 a taxa média anual de destruição foi de 151,8 km². Atualmente, restam apenas 8,5% de remanescentes florestais acima de 100 hectares. Somados todos os fragmentos de floresta nativa acima de 3 hectares, restam 12,5% da área original do bioma, que tinha 1,3 milhão de km² quando o Brasil foi descoberto.
Ao todo, 17 Estados são abrangidos oficialmente pela Mata Atlântica, e, pelo quinto ano seguido, Minas Gerais foi um dos estados que mais destruíram o bioma, com perda de 84,3 km² de floresta.
“Nas edições anteriores, Minas Gerais ocupou o segundo lugar, então o estado sempre esteve no topo do desmatamento da Mata Atlântica. Desde os últimos anos temos feito alertas tanto ao governo do Estado quanto aos diferentes setores para que possamos tirar Minas Gerais do topo da lista, porque é o estado que possui maior área de floresta preservada”.
O Piauí aparece em seguida no ranking do desmatamento no período, com menos 66,3 km² de floresta. A Bahia foi o terceiro estado que mais desmatou, com 47,7 km² a menos de vegetação no intervalo avaliado. Em São Paulo, houve queda de 51% no desmate na comparação com o último período. Mesmo assim, o estudo mostra que quase 1 km² de floresta desapareceu entre 2012 e 2013. Nesse período, o Rio de Janeiro registrou perda de 0,1 km².
Objetivo do estudo
O pesquisador e coordenador técnico do estudo pelo Inpe, Flávio Jorge Ponzoni, explicou que o objetivo do atlas é fazer um diagnóstico e não o trabalho de fiscal ou de polícia. “Fazemos um mapeamento global do bioma como um todo. Antes fazíamos a atualização de cinco em cinco anos, depois passamos a fazer a cada dois anos e agora anualmente. Isso torna o Atlas mais eficaz na identificação de áreas desflorestadas”.
O diretor de Políticas Públicas da ONG, Mario Mantovani, ressaltou que há exatos 26 anos a Mata Atlântica foi incluída na Constituição como o único bioma que tem uma regulamentação. Entretanto, continua sofrendo pressão do desmatamento.
Segundo Mantovani, há uma contradição entre o cumprimento da lei federal e o crescimento do desmatamento em Minas Gerais e no Piauí porque esses estados não reconhecem a Mata Atlântica como área a ser preservada.
“Outro ponto que percebemos foi a expansão urbana. Mas conseguimos uma forma de mobilização prevista na lei, que são os planos municipais. Se o município fizer sua regularização pode identificar como usar cada área”, disse.
Fonte: http://noticias.cancaonova.com/

terça-feira, 27 de maio de 2014

Tendo um dia difícil? Como Jesus Cristo pode lhe ajudar a melhorá-lo

  • Problemas financeiros, de saúde, dificuldades no trabalho ou no relacionamento familiar, desentendimentos entre amigos, enfim, quem já não passou por um desses problemas na vida. Todos eles são comuns e afetam a vida de milhares e milhares de pessoas todos os dias, porém a maneira como cada uma dessas pessoas lida com os seus problemas é que fazem a grande diferença. Os problemas e dificuldades existem, e isso é um fato inegável e muitas e muitas vezes quando estamos atravessando essa fase difícil não nos damos conta de que todas essas coisas que acontecem em nosso dia a dia são importantes e nos ajudam a amadurecermos e entendermos o que realmente é importante.
    Quando um dia difícil surgir novamente tente pensar e agir diferente.
    1. Coloque Cristo sempre à frente de seus problemas. Pense em como Cristo agiria se estivesse em seu lugar, faça-se esta pergunta quantas vezes forem necessárias em seu dia a dia. Converse com Ele através da oração e peça Seu apoio para lhe indicar o caminho para a solução. Esse é o primeiro e grande passo a tomar.
    2. Pense que você precisará agir e que não adianta aguardar ajuda Divina sem que você tome algum tipo de ação. O Senhor com certeza está ansioso para lhe ajudar, no entanto, espera que você também faça a sua parte, afinal é assim, enfrentando os problemas com determinação, que aprendemos o necessário para que vivamos melhor e mais felizes.
    3. Quando reservamos um tempo para Cristo todos os dias em nossas vidas, através da leitura das escrituras e da oração nos aproximamos mais de Seus ensinamentos e aprendemos a olhar a vida com outros olhos. Não espere os momentos difíceis para procurar ajuda do Senhor, volte-se a Ele todos os dias. É como um grande tratamento preventivo que nos fortalecerá para enfrentarmos os desafios que existem neste mundo. Reconheça a necessidade de Cristo em sua vida todos os dias e seja humilde para enfrentar as dificuldades.
    4. As pessoas têm a tendência de reclamar a cada novo desafio que passam, porém essa pode ser uma das ferramentas que ajudam a piorar o problema. Evite tanto quanto possível as reclamações, isso pode se tornar um grande vício em que nada estará bom nunca. Nos dias alegres ou mais complicados aja pacificamente, com um coração tranquilo, somente desta forma é que você poderá ouvir os sussuros do Espírito para lhe guiar na solução correta.
    Nunca deixe de se questionar: “O que Cristo faria em meu lugar agora?“
Fonte: http://familia.com.br/

PAPA FRANCISCO fala sobre os momentos marcantes da viagem à Terra Santa

No avião que o trouxe de volta ao Vaticano, o Papa Francisco conversou – durante quase uma hora – com os jornalistas que o acompanharam na Terra Santa. Os temas tratados foram muitos: dos momentos mais marcantes da viagem ao celibato dos sacerdotes, passando por escândalos financeiros e a hipótese de uma renúncia a exemplo de Bento XVI. Confira alguns pontos:
Os gestos na Terra Santa e o encontro Peres e Abu Mazen
“Os gestos mais autênticos são os que não se pensam, mas os que acontecem. Algumas coisas, por exemplo, o convite aos dois presidentes à oração, isto estava sendo pensado, mas havia muitos problemas logísticos, muitos, porque é preciso levar em consideração o território onde se realiza, e não é fácil. Isso já se programava, uma reunião, mas no fim saiu o que espero que seja bom. Será um encontro de oração, não para fazer mediação.”
Relação com os ortodoxos
“Com Bartolomeu falamos de unidade, que se faz em caminho, jamais poderemos fazer a unidade num congresso de Teologia. Ele confirmou-me que Atenágoras realmente disse a Paulo VI: ‘vamos colocar todos os teólogos numa ilha e nós prosseguiremos juntos’. Devemos nos ajudar, por exemplo, com as igrejas, inclusive em Roma, onde muitos ortodoxos usam igrejas católicas. Falamos do concílio pan-ortodoxo, para que se faça algo sobre a data da Páscoa. É um pouco ridículo: ‘Quando ressuscita o seu Cristo? O meu na semana que vem. O meu, ao invés, ressuscitou na semana passada’. Com Bartolomeu falamos como irmãos, nos queremos bem, contamos as dificuldades do nosso governo. Falamos bastante da ecologia, de fazermos juntos um trabalho conjunto sobre este problema.”
Abusos contra menores
“Neste momento, há três bispos sob investigação e um deles, já condenado, tem a pena em estudo. Não há privilégios neste tema dos menores. Na Argentina, chamamos os privilegiados de ‘filhos de papai’. Pois bem, sobre este tema não haverá filhos de papai. É um problema muito grave. Um sacerdote que comete um abuso, trai o corpo do Senhor. O padre deve levar o menino ou a menina à santidade. E o menor confia nele. E ao invés de levá-lo à santidade, abusa. É gravíssimo. É como fazer uma missa negra! Ao invés de levá-lo à santidade, o leva a uma problema que terá por toda a vida. Na próxima semana, no dia 6 ou 7 de julho haverá uma missa com algumas pessoas abusadas, na Santa Marta, e depois haverá uma reunião, eu com eles. Sobre isto se deve prosseguir com tolerância zero.”
Celibato dos padres
“Há padres católicos casados, nos ritos orientais. O celibato não é um dogma de fé, é uma regra de vida, que eu aprecio muito e creio que seja um dom para a Igreja. Não sendo um dogma de fé, há sempre uma porta aberta.”
Eventual renúncia
“Eu farei o que o Senhor me dirá de fazer. Rezar, buscar a vontade de Deus. Bento XVI não tinha mais forças e, honestamente, é um homem de fé, humilde como é, tomou esta decisão. Setenta anos atrás os bispos eméritos não existiam. O que acontecerá com os Papas eméritos? Devemos olhar para Bento XVI como uma instituição, abriu uma porta, a dos Papas eméritos. A porta está aberta, se haverá outros ou não, somente Deus sabe. Eu creio que um Bispo de Roma, ao sentir que lhe faltam forças, deva fazer as mesmas perguntas que o Papa Bento fez.”
Outros temas
Francisco falou ainda da alegada investigação sobre um desvio de 15 milhões de euros dos fundos do Instituto para as Obras de Religião, em que estaria envolvido o antigo Secretário de Estado do Vaticano.
“A questão desses 15 milhões está ainda em estudo, não é claro o que aconteceu”, adiantou.
O Papa disse que quer “honestidade e transparência” na administração financeira do Vaticano e que a nova Secretaria para a Economia, dirigida pelo Cardeal Pell, vai “levar por diante as reformas que foram sugeridas” por várias comissões para evitar “escândalos e problemas”. Nesse sentido, recordou que cerca de 1,6 mil contas foram fechadas no IOR nos últimos tempos.
Francisco confirmou que, além da viagem à Coreia do Sul em agosto, voltará à Ásia em janeiro de 2015, para visitar o Sri Lanka e as regiões afetadas pelo tufão nas Filipinas. O Papa mostrou-se preocupado com a falta de liberdade religiosa neste continente, falando num número de “mártires” cristãos que supera os dos primeiros tempos da Igreja.
O Papa não quis comentar os resultados das eleições europeias, mas lembrou as críticas que deixou na exortação apostólica Evangelii Gaudium a um sistema econômico “desumano”, que “mata”.
Já sobre a beatificação de Pio XII, pontífice durante a II Guerra Mundial, Francisco disse ter sido informado de que ainda não há o milagre reconhecido para que a causa avance.
Fonte:  Rádio Vaticano 

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Papa Francisco na Palestina: quebra de protocolo e convite inédito

Belém (RV) - Na manhã deste domingo, logo após aterrissar no Estado da Palestina, Papa Francisco fez uma parada fora de programa e rezou diante do Muro da Separação entre Israel e Palestina. À frente das escritas “Palestina Livre” e “Precisamos de alguém que fale sobre justiça”, Papa Francisco observou a altura do Muro da Separação e, logo após, tocou-o e encostou a cabeça recolhendo-se em oração.

Israel começou a construir o Muro da Separação em 2002, chamando-o de Muro de Segurança e com o objetivo de impedir a entrada de terroristas no Estado de Israel. Na fronteira entre Jerusalém e Belém, justamente onde Papa Francisco passou, o muro chega a ter oito metros de altura. Os palestinos que têm permissão para cruzar a fronteira precisam, todos os dias, passar pelo “Check Point” – o mesmo acontece com turistas que atravessam a fronteira para visitar a Basílica da Natividade, em Belém. 

Uma imagem histórica que, por enquanto, torna-se o símbolo da passagem de Francisco pela Terra Santa. Todavia, Papa Francisco surpreendeu, mais uma vez, ao anunciar no final da celebração eucarística na Praça da Manjedoura, um convite para que os presidentes da Palestina e Israel, Mahmoud Abbas e Shimon Peres, respectivamente, encontrem-se com o pontífice no Vaticano para um “momento de profunda oração pela paz”. 

Durante seu discurso na tarde deste domingo, já em Tel Aviv, Papa Francisco reiterou - desta vez na presença de Shimom Peres - o convite feito na manhã de domingo.
(RB)


Texto proveniente da página http://pt.radiovaticana.va/news/2014/05/25/papa_francisco_no_estado_da_palestina:_quebra_de_protocolo_e_convite/bra-802140
do site da Rádio Vaticano 

Papa na terra Santa

Se você quer acompanhar os passos do Papa Francisco em Jerusalém, damos uma dica deste site de notícias da comunidade Canção Nova.
Nele estão todos os discursos e momentos onde o Papa está vivenciando em sua Viagem.

Segue aí o link:  http://papa.cancaonova.com/francisco/viagens-francisco/

Bebê morreu na hora do parto, Mãe pede para segurá-lo e 2 horas mais tarde um milagre

  • Kate Ogg, na Austrália, estava grávida de gêmeos, um menino e uma menina. Na hora do parto, feito prematuramente às 27 semanas de gestação, ela teve uma menina, Emily, mas o irmão, um menino que haviam escolhido o nome de Jamie, não sobreviveu devido a cirurgia difícil do parto. Os médicos o declararam clinicamente morto.
    Ela, devastada pela notícia e juntamente com seu marido David, pediu aos médicos se podia segurá-lo para passar ao menos alguns minutos com ele.
    Kate disse: “Eu queria tanto encontrá-lo e abraçá-lo para que ele nos conhecesse. Já que sua vida seria fora deste mundo, nós queríamos que ele soubesse quem seus pais eram, e que nós o amávamos muito mesmo antes de ele nascer e morrer.”
    E assim esta mãe abraçou o corpinho morto de seu filho Jamie, conversou com ele sobre todas as coisas que eles poderiam fazer juntos, contou-lhe da família que formavam, e acompanhada de seu marido, o abraçaram, lamentaram e choraram sua perda.
    David disse que ele queria apenas mais alguns minutos com seu filho enquanto os médicos e enfermeiras aguardavam para que devolvesse o corpo para prepararem a documentação do óbito, mas os minutos se passaram, e eles ficaram com o corpo do bebê por mais de 2 horas. A irmã gêmea de Jamie, Emily, estava bem e sendo cuidada pelos médicos, e David lamentou juntamente com a esposa a dor de terem perdido o filho.
    Depois de 2 horas, já conformados com a perda do filho, quando Kate e David se preparavam para se despedir de Jamie, eles notaram pequenos e breves movimentos em seu corpinho e ele abriu seus olhos. Eles se emocionaram ao ver seus olhinhos, conversaram com os médicos, que lhes tiraram as esperanças dizendo que era somente resquício de vida na passagem para a morte.
    O que aconteceu em seguida prova a mágica do amor do toque de uma mãe. (Veja oVÍDEO da notícia em inglês)
    Os pais chamaram a equipe médica, que não deu muita importância. Mas os pais insistentemente afirmavam que Jamie permaneceu com os olhinhos abertos! Enquanto os pais diziam que o bebê poderia estar ainda vivo, os médicos os desencorajavam. Depois de algum tempo, o médico então voltou com um estetoscópio, ouviu o coraçãozinho de Jamie e balançava sua cabeça surpreso dizendo “Eu não acredito! Eu não acredito!” Eles então correram para dar o suporte necessário ao bebê, que viveu e cresce hoje como uma criança normal.
    Na Austrália, é popular que os pais acompanhem o desenvolvimento de bebês prematuros, especialmente a mãe, colocando o bebê perto de seu coração, e o processo é chamado de “Mamãe canguru”, que consiste em o bebê ouvir os batimentos cardíacos da mãe e sentir seu cheiro para que possa desenvolver-se.
    No caso de Jamie, os médicos insistem que não há explicação científica nem médica para o que aconteceu. O pai David Ogg disse que, “Kate e seu instinto maternal salvaram a vida de Jamie. Se ela não tivesse feito isso, nós não o teríamos conosco hoje, crescendo juntamente com sua irmã Emily!"
    Um milagre que uma mãe pode fazer!
Fonte: http://familia.com.br/

Dia Mundial das Comunicações Sociais

Neste domingo próximo, dia 01 de junho, será comemorado pela 48ª vez consecutiva o dia mundial das comunicações, iniciativa da Igreja Católica como fruto do Concílio Vaticano II, para incentivar a Comunicação Social da Igreja.  

Na Diocese de Mossoró acontecerá uma missa, às 9h, em comemoração a este dia na Catedral de Santa Luzia.
A Pastoral da Comunicação da Diocese de Mossoró convida todos os agentes da PASCOM, como também os profissionais de Imprensa da Região.

Santa Missa

Dia - 01/06
Horário- 9h
Local- Catedral de Santa Luzia.

sexta-feira, 23 de maio de 2014

HOMÍLIA PAPA: A saúde do cristão se vê com a alegria

A alegria é o segredo do cristão, mesmo nas dores e nas tribulações. Na Missa desta quinta-feira, 22, na Casa Santa Marta, Papa Francisco concentrou-se na necessidade de alegria, destacando que é impossível um cristão ser triste, e que é o Espírito Santo quem nos ensina a amar e nos enche de alegria.
Francisco recordou que, antes de ir para o Céu, Jesus falou de muitos coisas, mas sempre se concentrou em três palavras-chaves: paz, amor e alegria. Sobre a paz, Ele diz que é algo definitivo, diferente do que é oferecido pelo mundo. Sobre o amor, Cristo enfatizava que o mandamento era amar Deus e o próximo. E sobre o Evangelho de hoje, o Santo Padre destacou outro aspecto dito por Jesus: não só amar, mas permanecer em Seu amor.
“A vocação cristã é isso: permanecer no amor de Deus, isto é, respirar e viver desse oxigênio, desse ar. Com isso, Ele fecha a profundidade do Seu discurso sobre o amor e vai adiante”.
O sinal de que se permanece no amor de Jesus é a proteção dos mandamentos. Não é só segui-los, explicou o Papa, pois, segundo ele, o amor nos leva a cumprir esses mandamentos naturalmente, de forma que se pode dizer que a raiz do amor floresce neles. A partir disso, Francisco concentrou-se também na necessidade de alegria.
“A alegria é como um sinal do cristão. Um cristão sem alegria ou não é cristão ou está doente. (…) Uma vez, disse que há cristãos com cara de pimenta com vinagre… Sempre com o rosto assim! Também a alma é assim, e isso é ruim! Esses não são cristãos.”
Francisco destacou ainda que é essa alegria do cristão que protege a paz e o amor. E quem dá essa alegria é o Espírito Santo, embora Ele seja o grande esquecido na vida das pessoas. “Eu gostaria de perguntar a vocês, mas não o farei, hein: quantos de vocês rezam ao Espírito Santo? Não levantem a mão… É o grande esquecido! (…) O Senhor nos dê essa graça de proteger sempre o Espírito Santo em nós, aquele Espírito que nos ensina a amar, enche-nos de alegria e nos dá a paz”.
Fonte: http://noticias.cancaonova.com/

quinta-feira, 22 de maio de 2014

É possível rezar quando estamos sofrendo e doentes?

Da dor, das doenças, das preocupações ninguém escapa. Mais cedo ou mais tarde nos deparamos com situações em que, como Jesus no alto da cruz, gritamos: “Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?” E, por mais que a medicina se esforce, existem ainda doenças para as quais não se descobriu a cura. Além disso, quando pensamos ter encontrado o remédio para uma enfermidade, aparecem imediatamente outras que, à luz da ciência, são inexplicáveis.
Jamais devemos pensar que a doença seja castigo ou vingança de Deus contra o homem pecador. Este pensamento seria uma blasfêmia, uma visão distorcida do amor infinito de Deus para com o ser humano.
As doenças são frutos de imprudência, de situações que poderiam ser evitadas, de descuidos do poder público, de “violências” ambientais e humanas contra a natureza que exige respeito e amor. Todo transtorno humano, biológico ou da natureza nos questiona profundamente e nos obriga a recorrer a Deus para encontrar uma resposta aos nossos dramas interiores. Aliás, os santuários de onde sobem a Deus as preces mais fortes e fervorosas são os hospitais e prontos-socorros. Quantas pessoas, não encontrando soluções para seus problemas, recorrem a Deus… Porém, algumas vezes, não sendo atendidas nos seus pedidos, desanimam e se consideram abandonadas por Ele. Entretanto, quando não sentimos Deus ao nosso lado, é certo que Ele está perto de nós. O seu amor é eterno, fiel e jamais nos abandona.
Precisamos nos convencer de uma só coisa: nada pode nos dispensar da oração. Nem as enfermidades, nem os trabalhos, nem as mil ocupações que preenchem nossas agendas. A oração, como já vimos em outro momento, é uma questão de fidelidade e de amor. Sem o amor nos sentimos perdidos, inseguros, sem saber para onde vamos. O amor humano às vezes nos falha; nem sempre podemos contar com a presença dos que consideramos amigos, muitos se afastam de nós e nos encontramos sozinhos no deserto da vida. Nesses momentos devemos reforçar nossa oração e permanecermos bem unidos a Deus.
Muitos santos aprenderam a rezar na doença
É interessante notar que muitos santos se converteram e aprenderam os segredos da oração na doença. Enquanto estavam com saúde viviam como se Deus não existisse, dedicados a todo tipo de prazeres e diversões. Parecia que nada seria capaz de perturbar sua tranqüilidade; buscavam com ânsia realizar tudo que lhes vinha à mente.
A saúde nos dá um sentido de terrível auto-suficiência, independência de Deus e dos outros. Essa visão utilitarista e individualista é comum em todas as idades, mas especialmente na juventude, quando os problemas, a doença e a morte parecem fantasmas muito distantes.
Quem não se lembra da história de Francisco de Assis? Era jovem, rico e amigo de todos, mas a dura experiência de preso político na cidade de Perúgia, onde adoece, faz-lhe sentir toda a sua fragilidade e pobreza. Nesses momentos de dor física e moral, de profunda solidão humana, o coração de Francisco vai mudando e escutando a voz do Senhor que lhe chama para ajudá-lo a reconstruir a igreja através de seu testemunho e pregação. O exemplo de Francisco é para todos nós um convite; ele soube aproveitar a doença para se aproximar mais e mais do Cristo crucificado.
Outro exemplo é Inácio de Loyola. Forte e corajoso, desejava ser lembrado na história pelos seus feitos a serviço dos reis da Espanha; porém, ao ser ferido na guerra, pede livros de cavalarias para ajudar a passar o tempo, mas, na falta destes, lê a vida dos santos e os Evangelhos… Esses livros tocam em profundidade o seu coração e ele se converte. A enfermidade torna-se para ele “um sacramento de amor”; através dela percebe que tudo é vaidade e que a única coisa que importa é servir a Deus e à Igreja.
Teresa de Ávila não foge também a esta regra. Jamais teve boa saúde, chegou ao ponto de ser considerada morta e ter sua cova aberta, mas soube enfrentar tudo por amor ao Senhor e percorrer as terras da Espanha fundando Carmelos onde “o Rei, sua Majestade fosse bem servido”. Na sua autobiografia, Teresa revela que o caminho do sofrimento não deve nos afastar da oração em momento algum da vida: “Na doença e em situações difíceis, a alma que ama tem como verdadeira oração fazer a dádiva dos seus sofrimentos, lembrar-se daquele por quem os padece, conformar-se com as suas dores, havendo muitas outras coisas possíveis. Trata-se do exercício do amor… com um pouquinho de boa vontade, obtêm-se muitos lucros nos momentos em que o Senhor nos tira o tempo da oração com sofrimentos” (Santa Teresa de Jesus – Vida 7,12).
Talvez o exemplo mais evidente de que na doença é possível rezar seja o de Santa Teresinha do Menino Jesus, que morreu de tuberculose aos 24 anos. Ela sentiu a dor, o medo e, quem sabe, a tristeza de morrer na juventude. No livro “História de uma alma”, vez por outra ela nos abre um pouco das cortinas do seu coração e nos faz entrever o seu sofrimento: “O Senhor me dá coragem em proporção ao padecimento. Sinto que, para o momento, não poderia suportar mais, mas não tenho medo porque a coragem aumentará, se a dor redobrar” (Santa Teresinha do Menino Jesus).
Mesmo que o corpo seja esmagado pela dor, a alma sempre pode elevar-se acima de tudo e permanecer em íntima contemplação dos mistérios de Jesus: paixão, morte e sobretudo ressurreição. O cristão não pára na paixão nem na morte, ele sempre contempla Cristo glorioso que, tendo vencido todas as dores, nos chama à plena alegria na eternidade.
Não desperdiçar os sofrimentos
Não se pode dizer que a dor, os sofrimentos e a doença são coisas boas… Isto negaria que Deus é Pai e quer todos os seus filhos com saúde de alma e corpo, mental e psíquica. Ele quer que sejamos perfeitos em todos os sentidos. Mas a cruz se faz necessária, e quando não é possível evitá-la, devemos abraçá-la com dignidade e amor a Jesus, que assim o fez. São João da Cruz nos convida a não desperdiçar os sofrimentos, mas a acolhê-los e guardá-los com amor, porque um dia, na eternidade, serão pérolas preciosas.
Como devemos agir diante dos sofrimentos e doenças?
Ousaria dar alguns conselhos práticos que podem nos ajudar a superar o medo e a revolta, e acolher com docilidade a vontade do Senhor:
Primeiramente, ter sempre uma atitude preventiva e evitar, com todos os esforços, as doenças, porque muitas delas são provocadas por nossos exageros, não cuidando devidamente da higiene, exagerando na comida ou na bebida, colocando-nos imprudentemente em situações de risco que não são queridas por Deus, que é amor. Esta atitude é sumamente importante. Também, em nossa oração, devemos pedir ao Senhor que nos livre de toda enfermidade para que possamos viver com alegria.
Quando a doença chegar, não devemos desesperar, mas ter uma atitude de humildade, de auto-recolhimento, mergulhando no mais íntimo do nosso ser, para entrar em diálogo íntimo e profundo com Deus, e perguntando-nos para que tudo isso. E ainda procurar os meios necessários que a ciência nos oferece para sermos curados e pedir, com fortes orações e súplicas, a Jesus, Senhor da vida, que Ele nos cure e nos dê a saúde necessária para cumprirmos as nossas responsabilidades. Esses são momentos de fé, de amor e especialmente de esperança para entregar-nos totalmente aos “cuidados do Senhor” e pedirmos que outros rezem por nós e sobre nós, como diz a Escritura.
Quando a doença avançar e se fizer maior o nosso sofrimento, devemos entrar ainda mais no nosso coração e pedir ao Senhor o dom da fé. Jamais devemos esquecer as palavras do apóstolo Paulo: “Completo na minha carne o que falta à paixão do Senhor Jesus”. Esta participação na cruz de Jesus, nas suas dores e paixão não é simples resignação nem entrega desanimada a um fatalismo sem sentido ou masoquismo espiritual, mas é uma atitude de pura fé, sabendo que somos chamados a imitar Jesus em todos os momentos de nossa vida.
Rezar nos sofrimentos, na doença, não quer dizer de forma alguma pular de alegria, não sentir dor; é ter consciência de que a dor não é castigo de Deus, mas um acontecimento que poderá ser para mim caminho de libertação. Nesse momento é claro que as palavras não vêm, elas morrem na garganta antes de serem geradas. São momentos de profundo silêncio, em que só sabemos dizer o quanto é grande o amor que temos por Deus, através de um beijo no crucifixo, uma jaculatória, uma palavra do Evangelho que alguém nos sussurra aos ouvidos, uma imagem que gostamos de contemplar…
Por isso é importante, quando temos saúde, rezar para que saibamos aceitar a doença e até a morte que Deus nos queira permitir por puro amor, e dizermos na fé: “Seja feita a vossa vontade e não a minha”.
Oferecer tudo ao Senhor quando estamos lúcidos e conscientes é, sem dúvida, um ato de amor e de pura fé. É o que faço todos os dias ao me levantar: “Senhor, nas tuas mãos coloco toda a minha vida, pensamentos, desejos, saúde, e hoje, ainda sendo lúcido e consciente, quero te dizer que aceito com fé, amor e esperança tudo o que me enviares. E, se um dia me queixar, me revoltar contra as doenças, não me leves a sério, saibas que não quero isso, não é esta a minha vontade. É só o instinto que se revolta. Não me leves a sério, Senhor, e me dês a coragem para aceitar tudo. Senhor, peço esta graça não somente para mim, mas para toda a humanidade e para isso peço a ajuda e proteção da Virgem Maria, minha mãe e de todos os santos a quem tanto amo, os do Carmelo e os outros santos meus amigos. Que eu saiba contemplar silenciosamente o Cristo na cruz e dele possa haurir força e coragem. Assim seja”.
Rezemos para que a dor, os sofrimentos e doenças nunca cheguem. Mas, se um dia eles baterem à nossa porta, saibamos acolhê-los como irmãos que nos visitam e fazer desses momentos oportunidades de muita oração. Não devemos deixar-nos convencer de que a dor é boa, somente pela fé ela se torna caminho de amizade e de amor que nos abre a porta do paraíso.
Frei Raniero Cantalamessa

Fonte: http://www.comshalom.org/

quarta-feira, 21 de maio de 2014

CATEQUESE PAPA FRANCISCO: O dom da Ciência

Em sua catequese desta quarta-feira, 21, ainda sobre os dons do Espírito Santo, Papa Francisco concentrou-se no dom da ciência, também chamado de dom do conhecimento. O Pontífice explicou que este dom é algo especial que nos leva a entender, por meio da criação, a grandeza e o amor de Deus e sua relação profunda com cada criatura.
Para as mais de 70 mil pessoas reunidas na Praça São Pedro, Francisco disse que a ciência que vem do Espírito Santo não se limita ao conhecimento humano. Esse dom ajuda o homem a não correr o risco de se considerar o senhor da criação, pois esta foi entregue por Deus.
“O dom da ciência nos coloca em profunda sintonia com o Criador e nos faz participar da clareza do seu olhar e do seu juízo”, disse o Papa. Ele acrescentou que esse dom também ajuda a olhar as pessoas e as realidades sabendo reconhecer seus limites e sua orientação para Deus. “Tudo isso é motivo de serenidade e paz, fazendo de nós Suas jubilosas testemunhas”.
O Pontífice recordou que há uma predileção de Deus pelo ser humano, que está acima até mesmo dos anjos. Essa predileção, porém, implica em uma responsabilidade, que é proteger a natureza. Nesse ponto, Francisco advertiu que proteger a criação não é se apropriar dela, pois esta é um presente de Deus para o homem. “Quando destruímos a criação, destruímos o sinal do amor de Deus”.
Ele contou, por fim, um episódio que viveu no meio rural com um senhor simples, que plantava flores. Este senhor lhe disse que era preciso proteger as coisas belas que Deus deu, pois o Senhor perdoa sempre, o homem perdoa de vez em quando, mas a natureza não perdoa jamais.
“Isto deve nos fazer pensar e pedir ao Espírito Santo o dom, o dom da ciência para entender bem que a criação é o mais belo presente de Deus. Ele fez tantas coisas boas para a melhor coisa que é a pessoa humana”.

Fonte: http://noticias.cancaonova.com/

terça-feira, 20 de maio de 2014

ALÔ IGREJA: Papa nos convida a rezar pelas vítimas das inundações na Bósnia e na Sérvia

As piores inundações registradas em mais de um século na Sérvia e na Bósnia, dois países europeus da Península Balcânica, deixaram 47 mortos até o momento e obrigaram milhares de pessoas a deixar suas casas, informaram as autoridades locais nesta segunda-feira (19). Nos dois territórios, cerca de 50 mil moradores foram retirados das áreas afetadas pelas águas.
Já na Croácia, onde as tempestades atingiram a região leste, uma pessoa morreu e 15 mil foram afetadas. Nesta segunda, as escolas do país amanheceram fechadas.
"O que aconteceu é algo que ocorre uma vez a cada mil anos, não cem, mas mil anos", afirmou o primeiro-ministro sérvio, Aleksandar Vucic.
Diante disso, neste domingo, 18, após a oração doRegina Coeli, o Papa Francisco dirigiu o seu pensamento às vítimas das graves inundações que devastaram amplas áreas dos Bálcãs, na Sérvia e Bósnia, onde os países sofrem em consequência das piores inundações na região em mais de um século.
“Enquanto confio ao Senhor as vítimas dessas calamidades, exprimo a minha pessoal proximidade a todos aqueles que estão vivendo horas de angústia e de tribulação”, disse o Santo Padre.
Em seguida,  o Pontífice pediu a todos os fiéis que rezassem juntos por esses irmãos e irmãs que se encontram em dificuldade. E todos, unidos ao Papa, rezaram uma Ave Maria.
Após saudar os grupos de fiéis presentes na Praça de São Pedro, no Vaticano, Francisco encorajou as associações de voluntariado vindos a Roma para o Dia do enfermo oncológico: “Rezo por vocês, pelos enfermos e pelas famílias. E vocês – concluiu – rezem por mim!”.
Situação na Bósnia e na Sérvia
Informações das agências de notícias sobre a Sérvia e a Bósnia relatam que grande parte desses países seguem sob a água após cinco dias de chuva, que deixaram pelo menos 30 mortos e milhares de desabrigados.
Na Sérvia, a principal preocupação das autoridades é a cidade de Obrenovac, que está completamente tomada pelas águas do rio Kolubara, que transbordou. Até agora foram retirados quatro mil dos 80 mil moradores da cidade, informa a agência de notícias sérvia “Tanjug”.
Carro é visto em alagamento na cidade de Obrenovac, na Sérvia, nesta segunda-feira (19) (Foto: Antonio Bronic/Reuters)
Desde quinta-feira passada, morreram na Sérvia pelo menos cinco pessoas por causa das inundações, embora os serviços de proteção civil estimem que o número exato só será conhecido quando as águas baixarem. Predrag Maric, Chefe do denominado ‘quartel de emergências’ da Sérvia, qualificou as inundações como “uma catástrofe jamais vista” neste país balcânico. Em toda a Sérvia, foram retiradas, até agora, aproximadamente 15,5 mil pessoas.
Na Bósnia, a situação que parece mais crítica neste momento é na cidade de Bijeljina, no nordeste do país, onde cerca de 5 mil casas e edifícios estão inundados.
Enquanto isso, nos arredores da cidade de Maglaj, mais ao sudoeste, vive-se uma situação crítica desde quinta-feira. As previsões meteorológicas falam de chuvas que perdem a intensidade durante este fim de semana, o que fará com que baixe o nível de água dos rios.
Fonte: http://g1.globo.com/ e http://noticias.cancaonova.com/

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Encontro de Casais neste fim de semana na nossa Paróquia

Neste fim de semana, 17 e 18 de maio, a Comunidade Boa Nova realizou um encontro de casais, tendo como tema RECONCILIAÇÃO. O pregador foi o Missionário Vida Steferson e sua esposa Lia, onde eles trabalharam as dimensões espirituais e conjugais dos casais.
Confira como foi o encontro:














Fotos: Everaldo O Gato

sexta-feira, 16 de maio de 2014

JUSTIÇA: Abuso sexual infantil agora é crime inafiançável

Um projeto de lei que torna hediondo o crime de exploração sexual de crianças e adolescentes foi aprovado nesta quarta-feira pelo plenário da Câmara. O projeto, que vai agora à sanção presidencial, prevê que condenados pelo crime não poderão ter nenhum direito à liberdade provisória, anistia ou indulto.
Além disso, o texto aprovado também prevê que o ato de favorecer a prostituição ou outra forma de exploração sexual de criança, adolescente ou vulnerável também se torne crime inafiançável sob pena de pena de quatro a dez anos, que deverá ser cumprida em regime fechado. Pode haver progressão do regime, no entanto, somente após o cumprimento de dois quintos da pena, para réus primários, e de três quintos para reincidentes. Essas penas também serão aplicadas a quem for flagrado, ainda em contexto de prostituição, praticando sexo ou ato libidinoso com alguém com mais de catorze anos e menos de dezoito.
Atualmente, homicídio qualificado e execuções por grupos de extermínio já são considerados crimes hediondos. Além desses, também são hediondos os crimes de latrocínio, extorsão mediante sequestro e estupro. “Um dos crimes mais graves de que temos conhecimento é a exploração sexual de crianças. Poucos comportamentos suscitam tanto repúdio social, sobretudo quando resulta em atentado à liberdade sexual e se revela como a face mais nefasta da pedofilia”, reforça o autor do projeto, senador Alfredo Nascimento (PR-AM).
Pontos de risco em rodovias - Conforme levantamento da Polícia Federal e da Secretaria de Direitos Humanos, existem mais de 1.800 prontos de risco de exploração sexual de crianças e adolescentes em rodovias federais. Somente na Operação Anjo da Guarda, deflagrada em 2005, a Polícia Federal conseguiu resgatar em uma madrugada 48 adolescentes e três crianças vítimas de abuso nas estradas e prendeu 27 adultos. Em 2010, havia um ponto de prostituição a cada onze quilômetros das rodovias paulistas.
Ainda existe uma verdadeira rede de exploração sexual de crianças em vários pontos do Brasil, segundo a relatora da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, a deputada Liliam Sá (Pros-RJ). “Há muitos pedófilos e exploradores de crianças que precisam ser presos e, só assim, as crianças serão prioridade neste país”, disse Liliam.

Fonte: http://veja.abril.com.br/